sexta-feira, 8 de abril de 2011

Testei o Live CD do Gnome 3.0 - Fedora

Galera, estou postando só por uma questão mesmo de informação. A experiência que tive com o Live CD do Gnome 3.0 - Fedora - foi bastante rápida e só me permitiu chegar a conclusões superficiais.

PRÓS
Utilizei o Live CD baseado no OpenSUSE para fazer o mini-review do Gnome 3.0 e comentei sobre a minha preocupação (desconfiança, pé atrás, etc) com a distro Fedora por causa de alguns problemas que já tive no passado. Bom, venho agora mudar o que eu disse:
O Live CD do Gnome 3.0 baseado no Fedora me pareceu mais leve, mais organizado e com aplicativos mais interessantes. Além de ser mais recente (eu acho) do que o do OpenSUSE.

CONTRAS
Não permite ser instalado no PC. Explorei o sistema durante uns 20 minutos e não encontrei nada que nos levasse a um assistente de instalação ou algo parecido. Inclusive tentei via linha de comando como root, procurei em diretórios como /sbin e /usr/sbin mas nada foi encontrado.

Tentei acrescentar o parâmetro disponível no OpenSUSE, porém escondido (available, but hidden ATM, segundo Frederic Crozat) liveinstall no kernel mas não é permitido. O Fedora não exibe um menu de bootloader mesmo que você pressione algumas teclas. Também não lhe permite editar o arquivo .cfg que possui os parametros de boot. A partição é detectada como Hidden HPFS/NTFS. Se você tentar monta-la, só consegue em modo de leitura. No Windows você não enxerga a partição. Só me restou tentar alterar os flags da partição, mas eu já estava cansado e precisava do pendrive livre para colocar a imagem do Arch Linux.

Então, para concluir, se você estiver procurando uma distro bem elaborada para conhecer o Gnome 3.0, utilize a versão do Fedora. Mas, se você preferir uma distro um pouco mais pesada, cheia de opções, customizações e detalhes com certeza a sua opção será a do OpenSUSE. Lembrando que, até onde procurei, a do FEDORA NÃO PERMITE A INSTALAÇÃO e a do OPENSUSE PERMITE A INSTALAÇÃO.
Follow Me on Twitter