quinta-feira, 3 de março de 2011

Testes e mais testes com distros Linux.

Durante 3 dias estive experimentando distros Linux que, outrora so havia usado em PCs Desktop, no netbook Samsung Go (N310).

Passei dois dias com o Fedora 14 (codename Laughlin) e as conclusões básicas que tenho são:
- Prós
- - Excelente distro, mas não perfeita (como qualquer outra)
- - Um dos melhores gerenciadores de pacotes que já trabalhei (yum)
- - Quantidade gigantesca de programas disponíveis no formato padrão (rpm)
- - Renderização de fontes muito boa
- - Possibilidade de definir configurações manuais de rede durante a instalação
- - Tirando o peso natural do gnome, tem um desempenho legal (não igual ao Debian)

- Contras
- - Instalação demorada, dando erro toda vez que eu pedia para definir um ponto de montagem para uma partição NTFS.
- - Não foi possível, assim como no Debian, botar para funcionar a rede wireless, mesmo baixando o driver, compilando, instalando, carregando... nada! Até agora o Ubuntu foi o único que ativou o dispositivo wireless sem problemas. O erro SIOCSIFLAGS: Operation not permitted me persegue.
- - Se voce utilizar o LXDE terá que se contentar com um bug chato durante o carregamento do Ambiente de Trabalho.
- - A quantidade de fontes (true-type) para serem baixadas e seus respectivos nomes deveriam ser mais claras, mais óbvias... são confusas
- - Falando em confusão, a documentação do fedora é enorme, bastante informação, porém confusas

No geral, considero o Fedora um forte candidato a se tornar a distro que ficará instalada no netbook. Mas pra isso precisarei aprender mais acerca dos diretórios e arquivos de configuração, nomes de pacotes e, é claro, ativar o dispositivo wireless.

Lembrando que nessa disputa estão o DEBIAN e o SLACKWARE (estou mais familiarizado com eles) e são imbatíveis no quesito desempenho. Tendo o DEBIAN como atrativo a quantidade de programas disponíveis, e o SLACKWARE por causa da sua simplicidade, sem operar baseando-se em repositórios, permitindo total controle e total modificação do sistema (combina mais comigo).

No próximo post falarei sobre a experiência com o velho SLACKWARE de guerra, que ja me acompanha durante alguns anos.

Abraços.
Follow Me on Twitter